QUEM SOMOS

CARACTERIZAÇÃO FORMAL DA PANDORGA

A Associação Mantenedora Pandorga é uma entidade civil de caráter beneficente, e sem fins lucrativos, que integra a rede socioassistencial de proteção social e defesa de direitos, localizada na cidade de São Leopoldo/RS, sendo detentora dos seguintes certificados: Utilidade Pública Municipal n° 4058 de 25/08/04 - Utilidade Pública Estadual n˚ 002437 de 15/09/08 - Utilidade Pública Federal n° 1741 de 02/09/05 - Filantropia CEAS 0394/2006.

A Associação Mantenedora Pandorga está em consonância com o Art.2°, Itens I e II, da Resolução N° 191, de 10 de novembro de 2005, do Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS), que institui orientação para regulamentação do Art. 3° da Lei Federal N° 8.742, de 07 de dezembro de 2003 – Lei Orgânica da Assistência Social – LOAS, que reza: “Consideram-se entidades e organizações de assistência social aquelas que prestarem, sem fins lucrativos, atendimento e assessoramento aos beneficiários abrangidos por esta Lei, bem como as que atuam na defesa e garantia de seus direitos.”

De acordo com a Tipificação Nacional de Serviços Socioassistenciais - Decreto Nº 109, de 11 de novembro de 2009, a Associação Mantenedora Pandorga situa-se na categoria de entidade de assistência social e seu atendimento é considerado de média complexidade e de proteção social especial às pessoas com um transtorno do espectro do autismo (TEA) e suas famílias.

Em nível municipal a Associação Mantenedora Pandorga está registrada e tem seu plano institucional aprovado pelos Conselhos de Direitos que buscam exercer o controle social, a articulação com o Governo e a Sociedade Civil. Por isso, participa do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente – COMDEDICA, do Conselho Municipal de Assistência Social – CMAS, é Entidade Conselheira no Conselho Municipal de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência – COMUDEPE, e participa do Conselho Municipal de Educação – CME, da Comissão de Educação Inclusiva, bem como do Grupo de Articulação da Rede Socioassistencial organizado pelo CRAS (Centro de Referência de Assistência Social), vinculado à SEDES (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, de São Leopoldo/RS).

O serviço da Associação Mantenedora Pandorga articula-se com a rede e demais órgãos do sistema de Garantia dos Direitos, a fim de qualificar a intervenção e buscar a efetivação dos direitos das pessoas com um transtorno do espectro do autismo (TEA). Essa articulação se dá com os diversos Poderes do Estado (legislativo, executivo e judiciário), em especial com o Ministério Público (MP), prefeituras municipais (CRAS, CREAS, CAPS e outros órgãos), entidades do Governo do Estado e entidades coirmãs, particularmente a Rede Gaúcha Pró Autismo.

NOSSA HISTÓRIA

1999

Criação da Associação Mantenedora Pandorga

2005

Inauguração do prédio que hoje abriga a Casa da Pandorga

2015

Inauguração do prédio que abriga o segundo centro de convivência: Pandorga Criança

2020

Lançamento dos cursos internacionais

1995

Criação da instituição

2003

Aquisição do terreno para primeiro centro de convivência

2008

Criação do Pandorga Formação e início dos cursos presenciais

2018

Pandorga Formação passa a oferecer cursos online

A instituição tem sua origem em outubro de 1995 (na época ainda conhecida como Escola da Pandorga), quando sua fundadora, com o auxílio de uma educadora auxiliar, acolheu 2 crianças autistas em dependências anexas de sua própria casa. O lugar foi tomando a forma de um centro de convivência. À medida que se tornava conhecida,  o número de pedidos por uma vaga ia aumentando. 

No ano de 1999, foi criada a Associação Mantenedora Pandorga, uma associação civil de caráter beneficente, filantrópica e sem fins lucrativos, que conta atualmente com cerca de 110 membros contribuintes.

Com o tempo, as dependências do centro de convivência disponibilizadas pela família hospedeira tornaram-se insuficientes para atender a crescente demanda por vagas. Além do aumento da procura, as pessoas que chegaram à Pandorga ainda crianças, cresceram e tornaram-se adolescentes e adultos, necessitando de um lugar mais adequado às suas condições. 

Com a colaboração de uma rede de benfeitores, a Associação conseguiu adquirir, em abril de 2003, um terreno adequado para construir um novo centro de convivência. Com o auxílio de diversas entidades, a Pandorga pôde reunir os fundos financeiros necessários para realizar a obra. O novo centro de convivência, com 380 m² de área construída, foi inaugurado em junho de 2005 e abriga a Casa da Pandorga.

Em 2014 começou a ser construído o prédio com as novas dependências da Pandorga Criança, podendo sair da residência da família e sendo inaugurada em meados de 2015

ESTRUTURA FÍSICA

Realizamos nosso trabalho em dois centros de convivência, onde as pessoas são atendidas em regime de meio turno. As estruturas desses centros foram construídas especialmente para abrigar a Pandorga, o que significa que todos ambientes foram pensados, desde a construção, para possibilitar acessibilidade, conforto e aconchego às pessoas atendidas.

PANDORGA CRIANÇA

recebe diariamente 12 crianças de 4 a 12 anos

CASA DA PANDORGA

recebe diariamente 28 adolescentes e jovens adultos a partir dos 13 anos de idade

ÓRGÃOS DIRETIVOS DA PANDORGA
CONSELHO DIRETOR

Presidente - Claudia Moser

Vice-presidente - Fernando de Morais Garcez

1ª secretária - Marilene Loss Bobsin

2ª secretária - Nair Lory Klein Nyland

1º tesoureiro - Michel Dawrah

2º tesoureiro - Jair João Reginato

Titulares

Ademir Schmidt, Paulo Ricardo Araújo e Maria Lina Plentz

Suplentes

Sergio Mario Arsand Filho e Sara Carpena Ferrarini Veit

CONSELHO FISCAL
A 8